Dicas: Febre Reumática — Critérios de Jones Revisados

Posted on

É importante saber que esta manifestação da febre reumática pode vir isolada (sem a artrite e/ou cardite) e meses após o quadro da infecção de garganta.

É importante saber que esta manifestação da febre reumática pode vir isolada (sem a artrite e/ou cardite) e tardia, aparecendo meses após o quadro da infecção de garganta. Artrite, Febre reumática, Criança, Diagnóstico Introdução: O envolvimento multissistêmico (isto é, a presença de artrite, cardite e a coréia) é comumente reconhecido na febre reumática aguda. O intervalo PR pode estar aumentado em pacientes com febre reumática, mesmo na ausência de cardite. Critérios maiores: eritema marginado, poliartrite migratória, nódulos subcutâneos, cardite e coréia de Sydenham; o último é o mais específico e o menos sensível. Num estágio tardio, as lesões fibrinóides com granulomas histiócitos podem aparecer.50 Os nódulos subcutâneos característicos da febre reumática aguda aparecem em pontos de pressão elevada ou em tendões. Além dos anticorpos humorais, a imunidade celular parece estar envolvida também.69 Pacientes com febre reumática aguda de Trinidad mostram reatividade linfocítica significante, particularmente aqueles com febre reumática associada ao estreptococo. A cardite é a manifestação mais importante da febre reumática aguda por ser a única que pode resultar em seqüela permanente e mesmo na morte. Todas as quatro valvas podem ser envolvidas pela febre reumática aguda, apesar de o envolvimento da valva pulmonar ser extremamente raro. Existe controvérsia quanto ao aparecimento tardio ou súbito da doença cardíaca reumática, especialmente a estenose mitral, em pacientes que tenham tido só coréia sem evidências de cardite.

Fibromialgia é uma doença crônica que não tem cura, mas que se seguido corretamente o tratamento, pode se ter controle sobre a doença e levar uma vida tranquila.

  • Artrites infecciosas
  • Osteomielite
  • Artrite Reativa
  • Febre Reumática
  • Doença de Lyme

O tratamento da febre reumática aguda com aspirina ou esteróides pode levar à diminuição da VHS, apesar da doença ainda estar em atividade.

Esses critérios, modificados, são mostrados no Quadro 25-1.2 Um seguimento restrito dos critérios de Jones iria provavelmente excluir alguns pacientes com febre reumática. Eles deveriam receber profilaxia mesmo na ausência de doença cardíaca ou de episódio recente de febre reumática. Na grande maioria dos pacientes que desenvolvem a cardite durante o surto de febre reumática, esta já está presente quando o paciente é visto pela primeira vez. Em geral, pacientes com lesões das válvulas cardíacas provocadas por quadro anterior de febre reumática são aqueles com maior risco (leia: FEBRE REUMÁTICA | Sintomas e tratamento). A febre reumática aguda surge com manifestações clínicas variadas duas a quatro semanas após uma amigdalite aguda a estreptococos do grupo A. Cardite É a complicação mais temida porque pode deixar seqüelas, sendo uma das principais causas de cirurgia cardíaca no Brasil. A febre reumática é uma doença multissistêmica que acomete 3% dos pacientes que desenvolvem faringite por estreptococo beta-hemolítico do grupo A (37% das faringites são causadas por esse agente. A febre reumática provável e a febre reumática possível devem ser reconhecidas como categorias diagnóticas, sendo realizada a profilaxia com penicilina pelo menos até a revisão do acompanhamento. Descumprimento de profilaxia recomendada com BPG após febre reumática aguda diagnosticada por médico foi anotado para 22 (34%) dos 65 pacientes.

Características demográficas, clínicas, laboratoriais e radiológicas da febre reumática no Brasil: revisão sistemática

  • ANTIINFLAMATÓRIOS: eficaz em suprimir muitos sinais e sintomas de FR aguda
  • ÁCIDO ACETILSALICÍLICO: poliartrite aguda
  • CORTICOSTERÓIDES: reservados para pacientes com cardite grave

Além disso, registos de doentes do hospital para a profilaxia BPG foram revisados ​​para identificar febre reumática aguda adicional e pacientes com doenças cardíacas reumáticas.

Doze (18%) pacientes tiveram o diagnóstico de faringite indicada na ficha médica durante as seis semanas anteriores febre reumática aguda ou diagnóstico de doença reumática. Febre reumática aguda, caracterizada principalmente por cardite, coreia, e poliartrite, ocorre um mínimo de 2-3 semanas após um episódio de faringite não tratada ou tratada de forma inadequada. Aqueles que utilizam remédios tradicionais para os sintomas da febre reumática aguda e pacientes com doença leve pode não procurar atendimento. Finalmente, os registros médicos não foram revisadas para concordância com febre reumática aguda e critérios de diagnóstico da cardiopatia reumática, afetando potencialmente a sensibilidade ea especificidade do caso apuração. DURAÇÃO DA PROFILAXIA SECUNDARIA 1 – Febre reumática sem cardite – 5 anos ou até os 18 anos, o que for mais longo. Febre Reumática CRITÉRIOS MAIORES: ARTRITE CARDITE CORÉIA DE SYDENHAMERITEMA MARGINADO NÓDULOS SUBCUTÂNEOS 6 http://emedicine.medscape.com/article/1007946-overview (Acessado em 14 de maio de 2011) sintomatologia Radiografia de tórax mostrando cardiomegalia devido à cardite aguda da febre reumática. Assim, um diagnóstico presuntivo de febre reumática aguda recorrente pode ser feita com um critério maior ou dois critérios menores mesmo sem evidência de uma recente infecção estreptocócica. Para a duração de cardite pode ser aguda (até 3 meses), subaguda (18 meses) e crônica (mais de 18 meses); gravidade - leve, moderada e grave.

Febre reumática aguda e doença cardíaca reumática Entre Crianças – Samoa Americana, 2011-2012

  • Sarcoidose
  • Paramiloidose
  • A doença de Whipple
  • Febre reumática aguda
  • artrite gonocócica

A cardite da febre reumática deve ser diferenciada de perimiocardites virais e endocardites bacterianas, alterações cardíacas funcionais, prolapso de valva mitral e aorta bicúspide.

O tratamento inicial visa à erradicação do EBHGA da orofaringe do paciente com febre reumática aguda (profilaxia primária) (Tabela 2). Após um episódio grave de febre reumática aguda ou após vários episódios de febre reumática aguda os doentes podem desenvolver alterações no coração crónicas que agravam com o tempo. Estas alterações geralmente surgem 10 a 20 anos após o episódio inicial de febre reumática aguda. Chama-se Cardite Reumática a este envolvimento cardíaco que resulta de um ou mais episódios de febre reumática aguda. Compartilhe conhecimento: O que é a Febre Reumática, quais são os dados no Brasil e o que foi atualizado nos Critérios de Jones? Antes da ampla disponibilidade de penicilina, febre reumática era a principal causa de morte em crianças e uma das causas principais de doença cardíaca adquirida em adultos. A febre reumática – rara nos Estados Unidos mas muito frequente no Brasil e em outros países em desenvolvimento – pode causar uma lesão e uma cicatriz na válvula mitral. A febre reumática é uma doença auto-imune que causa inflamação em muitos tecidos do corpo, provocando dor nas articulações, nódulos na pele, sopro cardíaco, fraqueza muscular e, até, movimentos involuntários. Introdução-A febre reumática (FR) trata-se de poliartrite associada a cardite, afetando crianças e adultos jovens.

QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTE PORTADOR DE FEBRE REUMÁTICA: REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA

A febre reumática (FR) trata-se de poliartrite associada a cardite, afetando crianças e adultos jovens (GOLDING, 1998).

Os critérios classificam-se em maiores - artrite, cardite, coreia, eritema marginatum e nódulos; e menores - febres, artralgias, elevação dos reagentes na fase aguda. A estenose de valva pulmonar pode existir isoladamente ou ocorrer associada a outras alterações congênitas. Em alguns indivíduos a estenose de valva mitral pode desenvolver-se logo após um episódio de febre reumática e tornar-se sintomática durante a infância ou a adolescência. A doença pulmonar obstrutiva crônica, a hipertensão pulmonar grave e a doença da valva aórtica podem obscurecer ou reduzir a intensidade do sopro da estenose mitral. O papel dos diuréticos no tratamento da insuficiência cardíaca associada com doença da valva mitral destaca-se, devido ao valor limitado da digital. A embolização para o cérebro, as artérias coronárias, os órgãos abdominais ou as extremidades pode ser uma das conseqüências mais devastadoras da doença da valva mitral reumática. É possível selecionar os pacientes com doença de valva mitral reumática que apresentam maior propensão ao desenvolvimento de êmbolos sistêmicos? De modo geral, no entanto, todos os pacientes com doença da valva mitral reumática e fibrilação atrial devem ser cronicamente anticoagulados, a menos que uma contra-indicação esteja presente. As faringoamigdalites causadas pelo S. pyogenes geralmente determinam quadro agudo de dor à deglutição, febre elevada (acima de 38,5ºC), cefaléia, calafrios e, em alguns casos, dor abdominal.

Relembrando o básico – profilaxia secundária de febre reumática

A redução da morbimortalidade da febre reumática depende das estratégias de profilaxia secundária empregadas, com o controle das recidivas.

Os diagnósticos de cardiopatia segundo os critérios clínicos e de valvopatia reumática crônica pela avaliação dopplerecocardiográfica foram definidos a partir de dois anos de doença. Em cardite reumática grave refratária ao tratamento inicial ou em pacientes com necessidade de cirurgia cardíaca de emergência pode ser feito pulsoterapia semanal com metilprednisolona. O tratamento precoce também evita um novo surto em quem já teve a doença anteriormente, constituindo a profilaxia secundária. As 5 principais manifestações da febre reumática aguda são cardite, artrite, coreia, eritema marginado e nódulos subcutâneos, sendo a cardite e a artrite as mais frequentes dentre essas manifestações. Enquanto todas as demais manifestações da febre reumática aguda remitem sem sequelas, a cardite pode resultar em doença reumática cardíaca crônica. Nenhum tratamento tem sido capaz de alterar a evolução da febre reumática aguda para doença reumática cardíaca crônica. Tratamento: O tratamento da febre reumática é baseado na erradicação do foco da infecção pelo estreptococo, no tratamento da artrite, cardite, coréia e na profilaxia secundária. Tratamento – penicilina benzatina + corticoides O paciente apresenta quadro típico de febre reumática aguda. Seguindo os critérios de Jones modificados vemos então que o pcte tem 3 critérios maiores (cardite, nódulos SC e artrite) e 1 critério menor (febre).

Profilaxia secundária na febre reumática. Antibioticoterapia oral versus penicilina benzatina / Secondary prophylaxis in rheumatic fever. Oral antibiotic therapy versus benzathine penicillin

Em torno de 25% dos pacientes com cardite reumática evoluem com sequela cardíaca de estenose mitral pura e destes 40% associam o quadro de insuficiência mitral concomitante.

Fisiopatologia A cardite reumática em valva mitral provoca espessamento, calcificação e fusão das comissuras, cordoalhas, cúspides e, na maioria das vezes, uma combinação destes processos. Doença reumática cardíacaCARDITE REUMÁTICA Cardite reumática subclínica - alterações ao ecodoppler sem alterações ao exame físico Sopro, taquicardia, aumento da área cardíaca, ICC e pericardite: sinais clínicos 18 A cardite pode estar relacionada a um quadro agudo de miocardite (inflamação do musculo cardíaco), pericardite (inflamação da membrana que envolve o coração). Tal quadro pode acontecer em função de alterações em qualquer um dos componentes da valva mitral, folhetos , anel ou aparato subvalvar. Não são patognomônicos de febre reumática, nestes casos costumam aparecer várias semanas após o início do surto e são associados a cardite crônica grave. Comportamento das alterações dos valores da ASLO na evolução do surto de Febre Reumática Aguda Início – 7 a 12 dias após infecção estreptocócica Os critérios de suspensão são controversos, e em pacientes portadores de sequelas cardíacas graves é recomendada a manutenção permanente da profilaxia secundária. Nódulos subcutâneos – Os nódulos reumáticos subcutâneos costumam aparecer após as primeiras semanas da doença, e na maioria das vezes somente nos pacientes afetados com cardite.